Queimada na Amazônia: é realmente natural?

Apesar dos registros anuais referentes as queimadas demostrarem o contrário, os incêndios no ecossistema amazônico não são naturais como em determinadas localidades do oeste dos EUA, por exemplo. A umidade presente nas florestas tropicais, juntamente com a cobertura vegetal, serve como auxílio para o sustento das possíveis queimadas que possam ocorrer, além de funcionarem como banco de carbono por meio da estocagem realizada no processo de fotossíntese.


Entretanto, o desmatamento desenfreado nos últimos anos, devido a da expansão da fronteira agrícola, como também a intensa mudança climática resulta em diversas consequências, dentre elas as queimadas excessivas e a liberação de todo carbono estocado para a atmosfera. O número de focos de queimada nesse ano de 2019, até o mês de agosto, superou a média anual estabelecida, conforme os dados fornecidos pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe) e apresentados no gráfico abaixo.





É importante por em pauta os assuntos ambientais de forma que se possa realizar as ações necessárias para mitigar os possíveis danos irreversíveis ao ecossistema brasileiro. A perda da Amazônia trará consequências não só para o território brasileiro, comprovadas por meio de alterações climáticas, mudanças nas temperaturas de ecossistemas aquáticos, perdas de biodiversidades e empobrecimento do solo, como também para demais continentes por serem consequências de grandes escalas.


Mas afinal, estamos exercendo nosso papel diante disso tudo?

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo

Telefone

(34) 9 8889-3944

(34) 9 8854-7959

E-mail

Endereço

Universidade Federal de Uberlândia;

Câmpus Umuarama, entre os blocos 2A e 2B;

Avenida Amazonas S/Nº.

Aberto de Segunda à Sexta

08:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social

Localização

Copyright Sustenta - Soluções em Engenharia Ambiental - 2020.

Todos os direitos reservados.